Aproximação diatônica ascendente e descendente

Notas Alvo - Pt 2

Muito bem, podemos chegar até as notas alvo de diferentes maneiras, e as mais comuns são por:

 

1) Aproximação Diatônica Ascendente
2) Aproximação Diatônica Descendente
3) Aproximação Mista
4) Aproximação Cromática
5) Aproximação por Graus Conjuntos 
6) Aproximação por Graus Disjuntos

Você não precisa decorar todos esses nomes, basta entender a ideia por trás de cada um. Mostraremos cada técnica em cima de uma suposta música formada pelos acordes C, Em, F e G (tonalidade de Dó maior). Então vamos lá:

1) Aproximação Diatônica Ascendente: O nome "diatônica" significa que vamos trabalhar com notas da escala natural. Funciona da seguinte forma: procuramos tocar a nota da escala que se localiza imediatamente antes da nota de acorde e depois tocamos a nota de acorde. Por exemplo, no acorde de Mi menor, as notas alvo são E, G, B. Qual a nota que vêm antes de cada uma dessas notas? D vem antes de E, F vem antes de G e A vem antes de B. Então, uma opção para nosso solo poderia ser o seguinte: F - G, D - E, A - B.

A lógica é justamente essa: "finalizar" cada trecho com uma nota de acorde. Podemos brincar com a ordem das notas de acorde como quisermos (D - E, A - B, F - G, etc.), não é necessário seguir a ordem 1º, 3º e 5º graus em sequência. Veja abaixo essa aplicação para os acordes da nossa música (as notas de acorde estão destacadas em vermelho):  

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

2) Aproximação Diatônica Descendente: Funciona da mesma maneira que fizemos no caso anterior, com a diferença de que agora tocaremos uma nota posterior à nota de acorde para depois voltar (descendente) e tocar a nota de acorde. Usando o mesmo exemplo de Mi menor, a sequência seria: F - E, A - G, C - B. Note que F, A e C são as notas que vêm depois de E, G, e B, respectivamente. Segue abaixo a aplicação os demais acordes:

 


 

 

 

 

 

Página Anterior

Continua

aproximação diatonica ascendente
aproximação diatonica descendente